sábado, 18 de fevereiro de 2017

O primeiro mundo mostra suas caras! Uiiii que medo...

A história da civilização criou um centro de poder conquistador na Europa, que ao decair ajudou a criar um outro crápula internacional que foi (ou foram) os Estados Unidos da América.
Começa pela dubiedade, se é uma nação é no singular mas eles são OS ESTADOS UNIDOS, quer dizer que se não fossem estados nem unidos estaríamos livres daquele negócio que fica entre a latino-américa e o canada.
Botaram lá um palhaço mais "non sense" que o Tiririca aqui, que de passagem homenageio pela dedicação e seriedade com que enfrenta o cargo de "deputado mais votado do Brasil em todos os tempos" e com humildade.
Hoje é sábado e amanhã é domingo, falou Vininha aqui no meu ouvido.
Quando falou que "os bondes andam em cima dos trilhos e Jesus morreu na Cruz para no salvar, eu resolvi parar de postar essa bosta.
Se voltar ela será melhor publicada, senão vai ficar essa coisa com tanto "non sense" quanto...

sábado, 14 de janeiro de 2017

Uma despedida.

E aí me vi calmo, saindo daquele lugar.
Na saída não reconheci o caminho da chegada, era outro.
Acolhedor, desconhecido mas acolhedor.
Tudo estava calmo.
Uma leve brisa sobre o rosto fazia meu caminhar mais tranquilo ainda.
Estava rumo ao desconhecido, ao menos por hora.
Olhando para traz vi que tudo o que tinha que ser feito o fora.
Não deixei dívidas, rancores.
Deixei amores.
De valores somente a vida que levei.
Deixei talvez saudades,
e a dor da ausência que talvez o tempo aplaque.
Não choro como esse que por mim escreve.
Estou em paz.
A paz do se saber eterno.
Aguardo os novos tempos com esperança,
Com alegria.
Adeus.
Francisco Freire in memoriam

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Pequenos financiamentos grande negócio!

O BNDES está divulgando uma nova política de empréstimos a juros subsidiados.
Deu na FSG aqui.
A grande diferença é que a nova administração do banco, não pretende financiar grandes empresas ou setores específicos, lembram que o Ike Batista levou 15bi, isso mesmo 15BI do banco e não sei se vai nos pagar (sim o dinheiro do BNDES é da nação, nosso enfim).
Passa a fazer um julgamento do caso a caso, realizado por seu corpo técnico e sem ingerências políticas, focando o programa de investimento e não a vontade desta ou daquela autoridade.
Vai destinar mais financiamentos subsidiados a micro, pequenas e médias empresas com características específicas do negócio, como inovação, retorno social, geração de empregos, sustentabilidade ambiental e outras.
O que vale é a mudança de política.
Para quem acha pouco, assuma uma parte da dívida do Ike que nós brasileiros agradeceremos.
As empresas "campeãs" do PT deram com os burros n´água, e nós é que pagaremos o pato?
O PT não era de esquerda, era quadrilha de bandidos que se denominavam de esquerda, e com isso compromete uma lógica social realmente voltada aos mais necessitados, que seria o real pensamento da "dita esquerda"; se é que essa categorização cabe na dinâmica do mundo atual.
É isso, tá ruim mas tá melhorando.


sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

A Previdência está nos roubando!!!

Nunca acreditei nos sistemas de previdência.
Os motivos são muitos :

  1. Se fosse realmente bom não seria uma imposição do estado aos trabalhadores, todos correriam para colaborar, não é óbvio?
  2. Não beneficia todos com a mesma regra, o funcionalismo público (ói estado a sugar nosso sangue aqui novamente), políticos, membros do judiciário, e tantos outros mamadores das tetas da grande mãe esquálida apresentam uma conta muitas vezes maior que a do setor privado;
  3. Não tem a transparência necessária;
  4. Cria uma máquina burocrática imensa que só para mantê-la gastamos boa parte do que seria o benefício futuro;
  5. Cria grandes dificuldades para os empregadores e para os trabalhadores;
  6. Deixa o contribuinte à mercê de políticos e suas leis que sabem que quanto menos recebe o povo, mais sobra para suas falcatruas e benesses;
  7. Tira a liberdade de ação dos contribuintes.
Não faltam acréscimos à essa lista, mas esses pontos me bastam para saber que é um sistema falido.
E não é por tudo o que se alega atualmente para mudar a legislação previdenciária, é falido pelo próprio princípio previdenciário e seus interesses corporativos

Novamente tentam arrochar os trabalhadores do setor privado, que são a grande massa contribuinte, em prol daqueles pendurados em todo nosso estado perdulário e ineficiente.

A conta não pode ser exposta, não pode haver transparência pois revelaria o real problema do sistema previdenciário, e claro dos gordos salários e vantagens que aqueles que se acomodam no estado acumulam.

Sem a Previdência você pode trabalhar 35

ficar mais 43 anos aposentado 

com ganho de 127,7% do salário médio de contribuição.

Fizemos um exemplo:
Contribuindo por 35 anos com UM SALÁRIO MÍNIMO ($$880,00) conseguiríamos acumular (por baixo) o capital de  R$ 251.791,29 no final do período de 35 anos de contribuição, considerando o ridículo rendimento da poupança.
Se você retirar 13 salários de R$ 1.123,70, ou seja não 80% do salário mas 127,7% do salário todo mês, você receberia esse valor por 43 anos de aposentadoria.

60% a mais de rendimentos!!!
E por espantosos 43 anos de vida.

Se somarmos 35+43+16 (idade de um pobre coitado começar a trabalhar) = 94 anos, o que é acima da vida média do brasileiro que é de 73,62 anos segundo o IBGE.
Se você bater com as dez aos 74 anos (o que é a probabilidade estatística não meu desejo)  você ainda deixaria um patrimônio para os herdeiros de R$ 181.100,54 ou uma pensão no mesmo valor que vem recebendo, até zerar sua conta.

Estamos sendo roubados, esse sistema é um roubo oficial instituído para alimentar os vagabundos das oligarquias do funcionalismo público nas várias esferas e poderes do estado.
Ninguém aguenta mais!!!

A reforma da previdência seria simples.


  1. Todo trabalhador terá uma conta poupança vinculada a ele em um banco qualquer que escolha, obrigatória quando do primeiro emprego;
    1. Os valores serão transferíveis para qualquer outro banco conforme a conveniência do titular e claro melhores ofertas de rendimento ao longo do tempo;
    2. O trabalhador não pode sacar até completar a idade que escolheu para começar a retirar, algo pode ser estabelecido como mínimo, com 10 ou 20 anos da abertura da conta ou casos de emergência;
    3. O trabalhador deve receber extrato mensal dessa conta que apresente os rendimentos e o saldo desta. 
    4. Se o empregador não fizer o depósito que lhe cabe, o trabalhador pode acionar imediatamente os órgãos públicos que devem providenciar o mesmo e coibir que se crie ou aumente a dívida bilionária que as empresas tem com a previdência;
  2. Ao ficar desempregado o trabalhador poderá utilizar emergencialmente dessa conta até que esta zere ou ele volte a contribuir. A decisão é do trabalhador. É um seguro desemprego que ele mesmo tem, se o estado quiser ajudar que o faça;
  3. Essa conta funciona como uma conta-corrente, com um prazo de congelamento para movimentação a ser estabelecido por regulamentação. Algo como um movimento por mês.
Muitos vão me perguntar o que acontecerá com essa ou aquela categoria, nada de diferente, é uma previdência individual com critérios claros para todo trabalhador brasileiro, obrigatória e sem outras opções para quem estiver empregado.
E o que faremos com o sistema previdenciário, todo o patrimônio e funcionalismo ligados ao sistema previdenciário?
O sistema deixaria de existir, um elefante branco a menos nas nossas costas.
Quanto ao patrimônio (prédios, instalações e outros bens móveis e imóveis) serão transferidos para o estado, sendo que sua destinação deverá ser destinada aos serviços públicos reais e seguir a prioridade de uso como Saúde, Educação, Cultura, etc.
Os funcionários seriam transferidos para serviços realmente úteis à comunidade como hospitais e escolas, e se sobrarem podem ir para a limpeza pública não é?

Sobre a alegação que o sistema previdenciário auxilia o SUS, vamos desvincular esses impostos, que aliás já pagamos e muito para o péssimo serviço prestado na maioria dos serviços.

Para não parecer chute anexo a tabela que usei para os cálculos.
É isso
===============================  Tabela ===================================

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Os dois EUA

A eleição de Trumph pôs às claras dois Estados Unidos, o de dentro e o de fora.
O de fora é esse que passa pelo mundo como a maior economia, tecnologias de ponta, educação de altíssimo nível, e tantas benesses que o mundo moderno nos dá.
O de dentro é retrógrado, conservador, e , medroso. 
Por simples ignorância dessa grande parte da população que acabou elegendo como presidente um Tiririca da vida (sem menosprezo ao nosso Tiririca que está se saindo muito bem diante tantas barreiras que tem que vencer na vida).
Essa realidade americana vive sendo escondida do sol com peneiras muito frágeis.
Suas cadeias andam cada vez mais cheias, principalmente de negros.
A discriminação racial sempre foi tema delicado por lá, lembro como se fosse hoje o discurso de Luther King.
Muito pode se ter avançado lá como cá, em direitos adquiridos pelos nossos negões, mas pouco se avançou na real inclusão desta raça que tanto contribui para a civilização mas é sempre relegada a um papel menor.
Não adianta obrigar cotas de negros em escolas como aqui ou em filmes como lá, o que precisa acontecer de fato é uma mudança interna das pessoas acolhendo-se mutuamente negros, árabes, indus, asiáticos, judeus, etc. ah! e branquelas também, principalmente em acolher pois mais facilmente foram acolhidos por todos.
Essa mudança não se deu e fica patente quando olhamos as prisões dos dois países, repletas de jovens apartados por crimes que a sociedade desigual praticamente os instiga a fazer.
Defender direitos humanos não é defender os presos, é combater as causas que levam tantos cidadãos à criminalidade.
Um povo preconceituoso e ignorante vota em populistas como aqui o fizemos e nos demos muito mal com as gestões petistas.
Lá ao menos parece que o presidente por mais doidivanas ou palhaço que seja, tem limitações impostas pelo congresso e outras estruturas democráticas.
O problema é que o congresso de lá, também agora, é republicano.
Não temos muito a esperar desse Estados Unidos de dentro que quanto toma o poder, acreditando em armas, segregações, xenofobias, e preconceitos sempre provoca desarranjos mundo afora.
Foi a invasão de Bush que pavimentos os movimentos radicais islâmicos, acho que não resta dúvida disso.
E muita coisa pior o Bozotrhump poderá fazer do que ficar enfiando a mão nas coxas das mulheres ou chamando outras raças de bandidos.
A esperança é que o palhaço tire a máscara e o ator por traz dele tenha neurônios mínimos para comandar uma potência que pode para bem ou para o mal.
Quem (sobre)viver verá.

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Ah! tem Dó ria...

As autoproclamadas esquerdas reclamam da eleição de Dória e sua visão neoliberal, como se não tivessem culpa, ao polarizar a política, na guinada à direita que essa eleição mostrou.

Não gosto do Dória, nem do Alkmin.
Não dizem com clareza a que vieram.
O Pt também fez isso, pior, dizia uma coisa e fez outra.

Se a Prefeitura não for capaz de gerir seus próprios, o problema é de quem a gerencia, não da existência de parques e outros bens públicos que ficam "incomodando o estado" segundo o pensamento privativista.

A seguir assim vão querer privatizar as creches, as escolas de primeiro grau e o que mais? hospitais, postos de saúde? As ruas? Minhas cuecas?

Ora, um cara que mente em se dizer "não político" mas que com pouco mais de 20 anos foi nomeado para a Paulistur pelo então prefeito Covas, tem sim uma vida política.
Seu pai João Agripino da Costa Doria Neto, mais conhecido como João Doria, foi um publicitário, psicólogo, advogado e deputado federal brasileiro.
Era filiado ao Partido Democrata Cristão, o mesmo de Franco Montoro, que nomeou Covas (este meio a contragosto) e claro o garoto filhinho do papai, político sim, Dória Jr., esse aí que se elegeu prefeito agora.

Começar então com mentira é um péssimo presságio.

Para completar também não gosto de igrejas, muito menos da mistura delas com a política.
Sim, cléricos podem exercer cidadania, praticar política. Assim foi Dom Paulo Evaristo Arns, mas não se pode praticá-la usando da igreja um trampolim para conquistas políticas.
Infelizmente hoje as promiscuidades entre política, igrejas e dinheiro é uma praga que nos assola, haja visto o segundo turno do RJ, que pode eleger um pastor que provavelmente vai instituir a burca em Ipanema e Leblon.

Essa corrente burguesa que assumiu o PSDB eliminou dele toda a identidade do "S" que a sigla ostenta.
No limiar ficou FHC que ao se dobrar ao neoliberalismo Tacheriano, de braços com Clinton, cuspiu nas teses que defendeu antes.
Perdeu a visão social de longo prazo, talvez Dona Ruth não resistindo a tanta desfaçatez tenha feito  um game-over mais cedo do que deveria. 
Lembremos que ela foi quem, usando idéias de e apoiada por Cristóvão Buarque, começou o programa de bolsa-esCola, não o esMola em que o PT o transformou.

No discurso Dória faz menção a Montoro e Covas, que penso que reviraram no túmulo, incomodados por falas vazias, e posturas tão pouco Sociais que tanto defendiam quando vivos. Eu os conheci, testemunhei ações não bla bla blá.

Para quem pensa que dará para se acomodar no sofá e esperar uma boa gestão de Dória, acho que se enganam.
Vão sim é sentar no no kibe, que lhes incomodará o fiofó até terem que se levantar e voltar às ruas contra privatizações burras como a de parques e outras besteiras.

Comodatos para o comercio podem ser feitos desde sempre.
Se representarem melhor renda para a manutenção deles ótimo, é instrumento já existente na prática.
O que não precisamos é de uma intermediação na gestão ganhando nosso dinheiro.
Privatizar não é jogar na privada! 
Avisaeh  o mocinho do pulôver Polo.

Tem outros próprios municipais que não me fazem falta, o Complexo do Anhembi e o Autódromo são outros.
Vamos vendê-los mas a preço justo, com avaliações técnicas, e uso preservado.
Isso se tiver comprador.
Se não tiver vamos ser criativos como gestores e inventar muitos e muitos usos nesses espaços para poder promover a cidade onde o turismo de lazer é tão pouco implementado diante do de negócios.

Vigiemos nossos políticos, eles não podem fazer besteiras contra a vontade popular.
Abracemos os nossos parques.


terça-feira, 4 de outubro de 2016

Direita volver... Vou ver é uma grande cagada!

Direita e esquerda são termos anacrônicos que já deveriam ter sido banidos do dicionário político atual.
A suposição de polos leva-nos a pensar numa dualidade que não existe mais.
O mundo moderno é muito mais complexo que o zero ou um, o nós ou eles, o sim e o não.
Há muito mais nuances a serem observados quando abandonamos essa visão infantil da dualidade.

O uso desse enfoque polar coloca a pessoa fora da realidade, num mundo paralelo que ele - por provável pobreza de espírito - idealiza dentro de suas possibilidades cognitivas.

Exquerda

É portanto normal as afirmações delirantes de golpe, de teorias de conspiração, de não aceitação de fatos notórios como a prisão e condenação de altos executivos (e donos) de grandes impérios empresariais.
Falar em "ditadura do proletariado" em pleno século XXI é de arrepiar.
Que tal ler um pouco da vida e obra de Bakunin, e comprara-la à de Max?
Avisa lá que o muro caiu em 1989, que a China adotou um capitalismo de estado e depois se viu forçada a soltar suas rédeas para poder dar conta do desenvolvimento necessário para centenas de milhões de cidadãos.
Sobraram tristes exemplos, como Venezuela e Coréia do Norte que deixam claro sua incompetência em gerir o bem estar de seus cidadãos.
Até Cuba tem se mostrada mais aberta ao mundo global, senão afunda de vez.
Republiquetas africanas e ditaduras do oriente médio mostram o quão atrasados podem estar seus habitantes, bárbaros mesmo. Deveríamos propor que os homens também fossem castrados nesses lugares a exemplo do que fazem com as mulheres por lá.

DeReita

Do outro lado, mas com a mesma pobreza de espírito, muitos não aceitam a complexidade de gêneros humanos da contemporaneidade.
Sim, estamos em um tempo em que discutir homofobia é para quem ainda não entendeu a diversidade que o mundo anda a criar.
Eu não penso nas diferenças, assisto-as.
Faz parte da liberdade de cada um.
Me agride sim e a falta de sexualidade, fico triste quando a vida nos leva a uma situação de baixa libido, acho que essa força vital não deveria nos abandonar nunca.
Viva o viagra e o que mais vier!
Outros preconceitos que os ditos "conservadores" mantém acesos só denotam o atraso de seu pensamento, e provavelmente a rudeza de sua conduta.
Vi tentativa de entrevista da esposa do Cunha para um repórter, e o marido a interceder não deixando a tal arregalada falar. Acho que ela é arregalada daquele jeito por choques elétricos que o crápula deve lhe aplicar, afinal um Prada vale um sacrificiozinho né?

Extremos 

Gente que não desceu da árvore.
Extremistas só servem para se autoafirmar.
Existe um porque o outro existe.
Ficam em uma batalha que não leva a nada, enquanto isso o mundo caminha.
E mal, caminha muito mal para direções onde a valorização da vida é secundária, o que valem são as coisas, o dinheiro, a autosatisfação.
O individualismo mais confortável se impões contra o comunitarismo.
Nenhum dos extremos parece ver isso, afinal seu mundo é paralelo, é outro.
Há uma esquizofrenia nesse olhar, não dá pra negar.
Acho que Bolsonaros e Caetanos, que Malafraias e Chicos e tantos outros pares de opostos deveriam ser colocados frente a frente, presos, até que se apercebessem das idiotices que dizem.

Eu particularmente não teria o menor interesse em assistir as bobagens ditas por eles.